Supressão de vegetação exótica

Em Florianópolis, desde abril de 2018, está em vigor o Decreto nº 18.495 que institui a Política Municipal de Remoção e Substituição de espécies exóticas por espécies nativas no município. Entre as espécies que devem ser substituídas estão o Pinus, Eucalyptus e Casuarina spp, que são consideradas exóticas à região e podem avançar e invadir habitats naturais, deslocando espécies nativas.

Seguindo estas diretrizes, a Base Ambiental elaborou e executou plano de corte, previamente aprovado pela FLORAM, para a remoção de mais de 150 exemplares de eucaliptos presentes numa área de quase 3.000 m², em terreno localizado no bairro Ratones.

O método adotado para a execução foi o de corte raso em etapas, no qual, após avaliação do melhor local para tombamento, os exemplares foram cortados utilizando motosserra, evitando assim destruição de plântulas e árvores nativas. 

O trabalho foi executado por equipe especializada e que possui os treinamentos em NR 31 e NR12, exigidos para o desempenho desta atividade, assim como utilizou-se uma motosserra devidamente licenciada pelo IBAMA. Também foram utilizados todos os equipamentos de proteção individuais e coletivos adequados, fundamentais para garantir a segurança dos envolvidos e a regularidade do serviço prestado.

Em seguida, realizou-se o preparo da área para plantio de espécies nativas em substituição aos exemplares exóticos removidos, restabelecendo a área verde e dando início ao processo de recomposição vegetal. Entre as espécies escolhidas estão o Araçá, Guabiroba, Maricá, Pitanga, Garapuvu, Aroeira, entre outros.

O desenvolvimento das mudas será monitorado e avaliado por Engenheiro Agrônomo, profissional habilitado capaz de identificar a necessidade da realização de interferências como roçada, adubação de cobertura, reposição de mudas e controle de pragas (tratos silviculturais).  

Todo o processo de supressão e plantio monitorado é informado ao órgão ambiental através de relatórios técnicos entregues periodicamente, até ser constatado o reestabelecimento da formação florestal.