Plano de Gerenciamento de Resíduos – PGRS

Você sabe para que serve um Plano de Gerenciamento de Resíduos sólidos – PGRS?

PGRS é um documento técnico que objetiva identificar a tipologia e o quantitativo de cada resíduo gerado em um empreendimento, e a partir disso, elaborar estratégias ambientalmente adequadas para o manejo, acondicionamento, armazenamento, transporte e destinação final para cada um deles.

A Política Nacional de Resíduos Sólidos define quais são os empreendimentos sujeitos à elaboração de um PGRS e estão neste grupo os grandes geradores, empresas de construção civil, aqueles que geram resíduos perigosos, como estabelecimento de saúde, entre outros.

Cada atividade apresenta características próprias de geração e cada estabelecimento uma estrutura disponível para o manejo dos resíduos, por isso a importância do PGRS ser personalizado e orientado por um profissional habilitado, garantindo que será aplicável e trará os resultados esperados.

Recentemente a Base Ambiental elaborou o Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos da Saúde (PGRSS) para a Secretaria de Saúde do Município de Antônio Carlos/SC. Neste documento foram abordados, em detalhe, todos os possíveis resíduos sólidos gerados nas unidades, pelas diferentes especialidades médicas, e definidas as melhores formas de acondicionar, armazenar, transportar e destinar estes resíduos de forma adequada.

A necessidade legal de elaboração do PGRSS para o município de Antônio Carlos veio a partir de exigências estabelecidas na Resolução RDC ANVISA nº 222/2018, que regulamenta os requisitos de Boas Práticas de Gerenciamento de Resíduos de Serviço de Saúde e preconiza, no seu Art° 5, que todo serviço gerador de resíduos deste tipo deve dispor de PGRSS.

De maneira geral, o PGRS ou PGRSS costumam ser solicitados para a aprovação de licenças na vigilância sanitária ou licenciamento ambiental, mas além da obrigação legal, possuir um bom plano e implantá-lo corretamente pode trazer importantes benefícios para a empresa, como, mitigação dos impactos ambientais, minimização de riscos de acidentes e até mesmo economia financeira.